O Velho

Caminhando...

quinta-feira, janeiro 31, 2008

A dona da chave do inconsciente

Mulher Musa Dali

Continuo a escrever por sua causa.

 

Mas quando penso em teu sorriso, sinto luz, calor e paz, não sinto tesão algum.

 

Quando penso em te abraçar, não mais imagino envolver teus seios com meus lábios, não penso em tuas coxas ao redor da minha cintura, muito menos imagino como seria roçar minha barba de leve nos pêlos tímidos da sua barriga...

 

Penso em girar, cada vez mais rápido, com você em meus braços, gargalhando como numa comédia romântica bem clichê, enquanto teus cabelos vão se desprendendo pouco a pouco. E ambos subimos, flutuamos, juntando todas as imagens em misturas impossíveis, como num quadro de Picasso, fazendo das nuvens rostos e das montanhas cogumelos, como num sonho de Dali.

 

E continuo pensando, criando, sentindo. Porque sei que você lê, como está lendo essa pequena prosa agora. Não está? Me avise se estiver enganado... Basta não dizer nada, que me retiro de cena, apago as luzes, fecho as cortinas e as portas do teatro eu mesmo, pra que você volte no dia seguinte, magnânima, como todas as belas surpresas e nos lugares que o destino lhe reservou: Os palcos da vida, as ruas-palcos de vidas-sonhos, os sonhos lentos de  amores vãos, de paixões antigas e ilusões futuras, de imaginação, grito e desabafo, angústia profunda, o Drama universal...

 

Pois tenho paz mesmo longe de ti. O não-sentimento que lhe guardo é algo belo, muito além de teus cuidados e preocupações em não falar comigo. Isso sim me deixa triste, mas não muito. Pois sei que faz de propósito. E seu propósito é nobre. Mas sei que nenhuma ação proposital é fruto da indiferença. E sei mais: Um dos opostos da indiferença é o que eu "sinto" por ti.

 

Não preciso mais dizer o que "sinto", né? (Acho que já repetí isso à exaustão! E não quero mesmo te exaurir...). Só sei que toda musa é manifestação da divindade feminina, dona da chave do inconsciente que nós homens tanto buscamos.

 

Você é quem guarda essa chave pra mim. Ponto final.

 

;-)

10 Comments:

Blogger Poquelin said...

Caralho!!!

21:34  
Blogger Cynthia Lopes said...

Meu véio, vc é uma pessoa rara!
Bjs

10:50  
Blogger Kari said...

Declarações sempre tão intensas... tão bonitas...

Em um texto da Martha Medeiros, ela fala que, o contrário do amor é a indiferença e não o ódio, como muitos dizem...

Beijos, e espero que as chaves estejam bem guardadas e cuidadas...

14:56  
Blogger Aryane: no jardim dos lírios said...

Declaração de amor, são sempre tão puras, tão lindas, nossa que amor bonito é esse, um amor que todos os homens deveriam sentir, deixando de lado a brutalidade.
mt bom véio, um sentimento puro, e sadio.

"o amor é sede depois de se ter bem bebido" (como diz o Adriano)

19:49  
Blogger Sinto que sei que sou: said...

As palavras mais sinceras que já li, Girassol você consegue expressar extatamente o que "sente" e de modo que desejo sentir o mesmo por alguém, nossa me emocionei de verdade, esse teu não-sentimento é algo lindo que transborda em quem passa a conehcê-lo através de suas palavras...
Tenho ceterza de que ela lê, e de que tamb´me se emociona...

Bom dia todos os dias Girassol

:)

20:55  
Blogger Caroline Viana said...

meu querido... não seria um elogio nem uma crítica decepcionada... Foi simplesmente o que senti vontade de escrever após ler o texto... acho que foi uma sensação escrita... Talvez seja pela descrição minuciosa do erotismo que não existe ou do todo... mas repito.. Caralho!

14:10  
Blogger Sinto que sei que sou: said...

Acalme o coração e continue aesrcrever, mesmo que ela não diga,ela lê sim...um pelo menos ela lê.

:)

21:03  
Blogger Fláh said...

Vc tem razao a trilha sonora do snoopy é a melhor.

"Mas quando penso em teu sorriso, sinto luz, calor e paz, não sinto tesão algum."

Huu quem me dera seu uma musa inspiradora assim, algum dia para alguém.

21:51  
Blogger Jéssica V. Amâncio said...

Você escreve com a alma. Com a alma cheia de amor pra dar. É tão lindo!!!

E será que eu sou a 'dona da chave do inconsciente' de aguém?hehehehe eita!

Você tem romantismo. E nos dias de hoje, quem tem?! =)

14:21  
Blogger Fláh said...

Adoreei esta parte da musa:
"Sendo criança, também, e ao mesmo tempo séria a ponto de quase parecer brava! "

hahahaha

18:10  

Postar um comentário

<< Home