O Velho

Caminhando...

domingo, outubro 14, 2007

Velhas novidades (ou "use a imaginação, pelamordedeus!")

Como as pessoas são avessas às mudanças...

Mal sabem elas que só se gosta de algo que se vive. Esse é o princípio da cultura. Só se sente saudade daquilo que se teve, principalmente na infância.

A minha foi uma mistura de prisão e liberdade. Até os 13 anos vivi num apartamento apertado, que dava de frente para uma praça enorme, cheia de árvores, barrancos e muito verde. Antes mesmo da praça havia uma árvore enorme, com raízes mostruosas. A molecada do prédio sempre curtiu subir nela. Eu inclusive. Marquinhos, Rafael, Felipão, Ivã, Marcel, Luciano, Danilo... são alguns dos nomes que carrego comigo. Por onde andarão?

Às vezes dá mesmo vontade de voltar no tempo. Isso é natural a todo ser humano. O novo não interessa. O novo é difícil de imaginar. Aí, vivemos a vida buscando o passado, esquecendo que é impossível não viver o presente, até ele também se tornar passado. Então, esse presente que virou passado entra no itinerário da nossa "viagem" uuuhhhh...

Imagine esse processo até uns noventa anos de idade. O que se teria aproveitado da vida? Nada! É preciso imaginar! Conceber o novo! Criar seu caminho (a gente tem poderes pra isso).

Minha última postagem tem idéias tão simples e óbvias, mas quanta resistência! Quando essas idéias se realizarem, essas mesmas pessoas vão sentir saudades e vão dizer: "porque não pensei nisso antes, algo tão na minha cara assim!"

Faça um exercício. Use a imaginação e crie a sua realidade!

6 Comments:

Blogger Reticências said...

Oi, Edinho

Xi..... Eu sou do “contra”. Adoro mudanças. Em todos os sentidos. Sorte ou destino, já que nesses 20 e poucos anos rodei muito por ai. Por necessidade e por paixão.

É claro que de vez em quando bate aquela vontade de ficar voltando no tempo e relembrando tudo. Ainda que doa algumas vezes, parece mais confortável do que sair pro mundo. Mas a vida cá fora tá chamando a gente, pra viver bastante e ter muita história pra contar.

Por isso, pode preparar a bicicleta. Topo o passeio!

Sobre o último post, às vezes as pessoas necessitam de certo distanciamento do assunto para compreende-lo. Ainda que seja tarde demais.

Ah, "talvez" um dia me faltem palavras. "Pode ser" que as respostas sejam lacônicas. "Quem sabe"? Rs

Rê(ticências)

01:05  
Blogger Adriano Veríssimo said...

Olá meu caro Véio, quanto tempo que não nos falamos neh meu querido!?

Sobre essas mudanças, somos mesmo resistentes as mudanças, acho que por medo sabe!? É bom ser do jeito que é, e bom quando acontece naturalmente, buuum!!! Mudou e nem percebemos, é ruim se forçar a mudar. É como mudar de casa depois de anos ter morado no mesmo lugar, construído um história; como decidir mudar o sentimento, partir pra outra, encerrar e começar novos ciclos, tudo isso é ruim doloroso, no momento, ao passar do tempo ao se habituar, perceber que aquilo foi bom.

É normal o estranhamento com o novo, afinal o antigo já é nosso.

= )

Forte abraço!

17:21  
Blogger Gastando solidão.... said...

Nossa sobre tu conversar com as manchas, me indentifico, por que quando elas doem demais , eu costumo conversar pra ver se elas aliviam a dor...
Sobre voltar a infância, meu desejo é enormeeee e mal posso controlá-lo, ás vezes ainda tendo essa idade "madura" costumo ser criança, só pra amenizar a vontade...

11:29  
Blogger Reticências said...

Ok, fico esperando... rs

Obrigada pelas felicitações.

Bjo

21:24  
Anonymous beijo...me liga ! said...

i can't drink anything but black coffee.

beijo...me liga !

19:54  
Blogger Cynthia Lopes said...

NO-VI-DA-DE: qualidade do que é novo (sic); inovação; alteração inesperada do no andamento normal das coisas (oba, a coisa começa a ficar interessante); perigo e agitação que nos tira do prumo, do nosso lugar e sacode a poeira! Blz de convite meu lindo, bjs

22:57  

Postar um comentário

<< Home